“Não descarto”, afirma secretário sobre candidatura nas eleições 2020

A um ano e meio das eleições para o Executivo e Legislativo municipais, o secretário garantiu que segue pensando apenas como um profissional técnico da Prefeitura

O secretário do Gabinete Civil de Parnamirim, Wolney França, afirmou que não descarta uma possível candidatura política em 2020. A um ano e meio das eleições para o Executivo e Legislativo municipais, o secretário garantiu que segue pensando apenas como um profissional técnico da Prefeitura, e que ainda não conversou com nenhum partido sobre a possibilidade.

Em entrevista ao Jornal Agora Parnamirim, o secretário ainda elogiou o prefeito Rosano Taveira (PRB) pelo seu desempenho como gestor de Parnamirim, e contou como o Termo de Ajuste de Gestão e o Plano de Desligamento Voluntário contribuíram para equilibrar as finanças do município – o que ele explicou ter sido um dos principais focos de Taveira nos primeiros dois anos e meio de sua administração.

Confira a seguir, a entrevista na íntegra com Wolney França: Wolney Freitas de Azevedo França é advogado de formação e atual secretário do Gabinete Civil da Prefeitura de Parnamirim

AGORA PARNAMIRIM – Como o senhor avalia a gestão do prefeito Rosano Taveira até o momento?

WOLNEY FRANÇA – Avalio como positiva, levando em consideração que ele está fazendo um trabalho de muita responsabilidade fiscal e de equilíbrio. Nesses primeiros anos de gestão, procuramos equilibrar as contas. Recentemente, publicamos no Diário Oficial o limite de 48% no gasto de pessoal. Recebemos a Prefeitura com 58%. Ou seja, nesse período, reduzimos em 10 pontos o limite de despesas com o pessoal.

AGORA – Qual tem sido o foco principal da administração do prefeito?

WF – Eu vejo o prefeito na linha que ele trouxe da Câmara, que é o respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal. Essa é a grande marca de Taveira: um cuidado com o erário público. Ele equilibrou as contas. No segundo semestre, devemos entrar fortemente com investimentos.

AGORA – Quais são as ações realizadas pelo Executivo que o senhor destacaria?

WF – O saneamento, que está em plena execução; o concurso para a Guarda Municipal, que vamos realizar neste segundo semestre; a inauguração da central de videomonitoramento; o pagamento do funcionalismo em dia desde o primeiro mês de gestão; a sanção do Plano de Cargos da Saúde, que era um pleito antigo da categoria, sendo que o prefeito conseguiu implantá-lo em uma época como esta… É algo diferente. Temos ainda o Teatro Municipal e a reabertura da antiga área do aeroporto, que servirá como centro cultural.

AGORA – No que consiste esse Centro Cultural?

WF – O Centro Cultural contará a história da Segunda Guerra Mundial. Parnamirim teve grande participação na guerra. O consulado americano já esteve visitando a área. Está bem avançado. A primeira etapa deve ser inaugurada no dia 17 de dezembro, no aniversário da cidade.

AGORA – Que avaliação o senhor faz da adesão do município ao Termo de Ajuste de Gestão (TAG) para diminuir despesas com o pessoal?

WF – Assinamos esse termo no início da gestão, e houve uma decisão do próprio Tribunal de Contas do Estado de anular de um concurso que causaria a demissão de cerca de 450 professores. Tínhamos um limite altíssimo de 58% de despesa com pessoal. A par dessa situação, o prefeito assinou esse termo com participação dos sindicatos. A meta seria de, em 20 meses, diminuir as despesas com o pessoal. Por coincidência, a meta se encerrou em abril deste ano, e agora publicamos essa diminuição. Em outras palavras, cumprimos o TAG e validamos o concurso de 2015, preservando os professores que seriam demitidos. Ainda há, inclusive, a possibilidade de convocarmos novos professores.

AGORA – O que foi feito pela Prefeitura de Parnamirim neste aspecto?

WF – Fizemos auditorias na folha, redução de cargos de comissão e de contratos, e também fizemos o Plano de Desligamento Voluntário. Os resultados foram e estão sendo extremamente positivos. A procuradora Luciana Campos, do Tribunal de Contas, chamou a Prefeitura para parabenizar o prefeito, que conseguiu cumprir todos as etapas do TAG.

AGORA – O Plano de Desligamento Voluntário (PDV) causou impacto positivo nas finanças do município?

WF – Lançamento o Plano e houve adesões. Tivemos, sim, uma melhora nas finanças.

AGORA – O PDV já foi encerrado ou segue em vigência?

WF – Já foi encerrado. Nós terminamos a implementação em dezembro de 2018.

AGORA – Há déficit de profissionais em alguma área?

WF – Nós temos a informação de que hoje temos uma carência na área de educação, mas nós já estamos trabalhando para reverter essa situação. Já conseguimos um grande resultado com o TAG. O prefeito, paulatinamente, está fazendo colocações. Em dezembro, ele convocou em torno de 20 professores. No mês passado, foram mais 36. Nossa ideia é regularizar essa carência de profissionais. Temos ainda uma previsão de mais 36 nesse segundo semestre.

AGORA – A Prefeitura tem planos para mais contratações?

WF – Fizemos um concurso há cerca de 30 dias para as áreas de saúde, assistência social e procuradoria, com 810 vagas. O concurso está na fase de análise de títulos. Além disso, no segundo semestre, deveremos ter a prova para Guarda Municipal e cuidadores da área de Educação.

AGORA – A oposição ao prefeito tem elogiado esses ajustes nas contas, mas acredita que isso não está traduzido isso em ações para a população, como obras. Como o senhor avalia essa opinião?

WF – Acho que essa é uma opinião apressada. Não se pode organizar uma administração pública em um curto espaço de tempo. Ele (Taveira) já vai com dois anos e meses de gestão, mas a situação em que recebemos a Prefeitura merecia uma atenção especial em relação às contas, e essa atenção, que a população pede, foi dada. O resultado prático, para todos verem, está no Diário Oficial, com essa redução de 10 pontos percentuais das despesas. O momento de investimentos fortes certamente chegará agora no segundo semestre.

AGORA – Na sua opinião, qual deve ser o principal foco últimos três semestres da gestão de Rosano Taveira?

WF – Queremos focar nas iniciativas que começamos neste ano, como a realização e posse da Guarda Municipal; a conclusão da primeira etapa da reabertura do antigo aeroporto como espaço cultural; o pleno funcionamento da central de videoonitoramento; mais ruas contempladas pela iluminação de led; e recuperação das escolas e unidades de saúde, além de pavimentação de ruas.

AGORA – O senhor acha que há espaço para renovações no cenário político atual?

WF – Sempre há.

AGORA – O senhor possui pretensões políticas para 2020?

WF – No momento, falando como secretário, não penso em política. Eu me considero técnico. Sou advogado de formação, e neste ano quero me concentrar em ajudar o prefeito Taveira a realizar o que ele deseja de bom para a população. Não descarto, mas no momento não vou tomar nenhuma decisão neste sentido. Eu não tenho conversado com nenhum partido.

Fonte: Agora RN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close